Saúde

OS PERIGOS DA AUTOMEDICAÇÃO

 

Quem nunca tomou um remédio sem prescrição médica, indicou um analgésico para um amigo ou recebeu orientação de uma pessoa comum? No Brasil, 79% das pessoas com mais de 16 anos admitem tomar remédios sem prescrição médica. O percentual é resultado de uma pesquisa realizada pelo Instituto de Ciência, Tecnologia e Qualidade (ICTQ) e, desde que o estudo começou a ser realizado, é o maior já registrado.

O imediatismo e o maior acesso à internet estão entre os motivos para o aumento, de acordo com os coordenadores do estudo. As pessoas estão deixando de ir ao médico e procurando informações na internet que auxiliam no autodiagnóstico, o que acaba sendo a solução para um mal estar que pede alívio imediato. Mas informação e segurança é crucial, portanto buscar um profissional da saúde é o caminho para a resolução do problema, pois a automedicação é a principal causa de intoxicação em adultos e crianças.

Além disso, a prática desencadeia inúmeros riscos, como o agravamento da doença, uma vez que a utilização inadequada pode esconder determinados sintomas. Se o remédio for antibiótico, a atenção deve ser sempre redobrada. O uso abusivo destes produtos pode facilitar o aumento da resistência de microrganismos, o que compromete a eficácia dos tratamentos, como também reações alérgicas, dependência e até a morte.


TIPOS DE USO IRRACIONAL DE MEDICAMENTOS

ESTRATÍSTICAS DA ORGANIZAÇÃO MUNDIAL DE SAÚDE (OMS)

Fonte: https://www.endocrino.org.br/os-perigos-da-automedicacao/

 

Ver Todas